Seguidores

sexta-feira, 30 de abril de 2010

III Mountain Bike de Pitangui


A Largada

No dia 25 de abril, a partir das 10 horas, aconteceu na Serra da Cruz do Monte a 3ª edição do Mountain Bike em Pitangui. O evento foi realizado pela Academia Training, sob a organização do Daniel Nunes e do Marcus Moreira e contou com cerca de 200 participantes vindos de várias cidades da região.



Os ciclistas foram divididos em 13 categorias e percoreram circuitos de 30 e 50 KM. Os primeiros colocados ganharam premiações e todos os participantes ganharam medalhas.


Início do percursso.
Esporte radical + natureza


Olha o visual ao fundo.

Nessa empreitada de presenciar o evento, no alto da serra, contamos com o amigo Ricardo Caldas e o companheiro Peçanha. As fotos da Largada, das trilhas e dos participantes foram gentilmente cedidas pelo Markinho (organizador do evento).





Foto: Léo Morato.

O blog daquidepitangui tem prazer em registrar acontecimentos como esse, que além de estimular um hábito saudável (o ciclismo), incentiva o turismo em Pitangui. É preciso apoiar e reconhecer as boas iniciativas que estão sendo promovidas a favor da cidade, seja no esporte, nas artes, ou na preservação do nosso patrimômio. Parabéns aos organizadores e participantes do III Mountain Bike de Pitangui. Até a próxima, galera.


Foto: Léo Morato.


quinta-feira, 29 de abril de 2010

Festejos de Nossa Senhora do Pilar em 1939

O documento abaixo é o Programa-convite para a festa de Nossa Senhora do Pilar de 1939. Quem nos enviou esta raridade foi Maria Helena Vasconcelos Cançado Campos. A programação dos festejos apresenta a encenação de uma peça teatral sobre fatos da história de Pitangui, escrita por Maria da Conceição Menezes,a Dona Mariquinha, avó de Maria Helena.
Maria Helena nos conta que esse material chegou até ela através de seu "Tio Luiz", filho de Dona Mariquinha e também grande estudioso da história de Pitangui.
Segundo Luiz Vasconcelos, a peça teatral foi escrita,ensaiada e dirigida por sua mãe e apresentada pelos alunos do então Grupo Escolar Francisca Botelho no dia 15 de agosto de 1939, nas dependências da escola, em homenagem aos festejos de Nossa Senhora do Pilar.
Clique sobre a imagem abaixo para ampliá-la.


terça-feira, 27 de abril de 2010

Na beira do rio


Rio Pará.


Aqui estamos nós de novo. Nesse fim de semana, fizemos algo diferente . Para relaxar um pouco fomos curtir o racho do Rodrigo (Quatri Comunicações), na região do Velho da Taipa, onde a recepção e a acolhida foram de primeira. Pena que o parceiro Licínio não pôde comparecer, porque estava cuidando do filhote.


A antiga Estação Ferroviária Velho da Taipa.

Parece que está sendo restaurada.


Essa "cultura ribeirinha" é um hábito pitanguiense de desfrutar a beleza e o sossego do nosso Rio Pará, onde a natureza está mais perto.

Os coqueiros do caminho.


O bate-papo no fim de tarde.

No preparo do caldo de feijão.

Para sair da rotina, as famílias, os grupos de amigos e os visitantes costumam passar o fim de semana do rancho, intensificando as amizades, descansando, pescando e apreciando a comida mineira, o churrasco de improviso e o tradicional peixe frito (com limão e uma cervejinha gelada).


Tá servido?!


A vegetação ribeirinha.
Fotos: Léo Morato.

O nosso rio é um patrimônio natural do município e apresenta um grande potencial turístico a ser trabalhado. Para quem não conhece a região, fica aqui a nossa dica de hoje.
E não esqueça de levar o lixo de volta, pois as latas de alumínio, plásticos e dejetos diversos poluem o rio, matam os peixes e alteram os hábitos alimentares dos animais. Faça a sua parte e aproveite a natureza!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O Cruzeiro da Penha

O Cruzeiro da Penha. Fotos: Léo Morato.

As nossas lentes, divulgam hoje o Cruzeiro "escondido" no interior do bairro da Penha. Localizado em uma espécie de "largo" na junção de duas ruas, o local da cruz tem acesso por três entradas. Segundo alguns antigos moradores, com que conversamos informalmente, a cruz já tem mais de 100 anos.


No local realizava-se encontros e cerimônias religiosas como a Reza do Terço e as Quermecias. Os festejos e celebrações faziam parte da programação da Festa de Santo Antônio, na Penha e aconteciam em junho.


Quem tiver mais informações sobre esse patrimônio pitanguiense, faça contato conosco para enriquecermos esse registro sobre a nossa história.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Martinho Campos: filho de Pitangui e político do Império

Martinho Álvares da Silva Campos

Martinho Álvares da Silva Campos, filho de Martinho álvares da Silava e Isabel Jacinta de Oliveira Campos, nasceu em Pitangui em 22 de novembro de 1816, estudou no Colégio do Caraça e formou-se em medicina pela faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, mas não exerceu a profissão, dedicando - se a política. Representando a elite agrária daquele período ocupou o cargo de Deputado Geral entre 1857 e 1881 ( pelo distrito de Vassouras, pela capital do Império e pela província de Minas Gerais), quando foi nomeado governador da província do Rio de Janeiro e em seguida assumiu a presidência do Conselho de Minstros e a pasta da fazenda durante um curto período. Sua passagem pelo Minstério dda Fazenda foi marcada pelo programa que adotou para melhorar a situação cambial e reduzir a dívida pública brasileira. Foi Conselheiro de Estado e também nomeado Senador entre 1882 e 1887, quando faleceu (29/03/1887), na cidade de Caxambú, M.G..

FONTE:

http://wapedia.mobi/pt/Martinho_%C3%81lvares_da_Silva_Campos ,acessado em 21/04/2010

Wapedia - Wiki , acesado em 21/04/2010

http://www.fazenda.gov.br/portugues/institucional/ministros/dom_pedroii034.asp, acessado em 21/04/2010


quarta-feira, 21 de abril de 2010

3º Salão Mineiro de Turismo


Entre os dias 16 e 18 de abril, ocorreu no Minas Centro, o 3º Salão Mineiro de Turismo. No domingo, 18, estivemos visitando o evento na companhia de Samuel Caldas, que representou a prefeitura de Pitangui. Lá, tivemos a oportunidade de perceber como muitas cidades pertencentes aos circuitos turísticos de Minas Gerais se prepararam para o evento apresentando folders com informações sobre seus atrativos, além de empresas do setor hoteleiro, artesanal, cachaçarias, agências de turismo, etc., que aproveitaram a ocasião para fazerem contatos e novos negócios.
A cidade de Pitangui, incluída no chamado circuito "Verde Trilha dos Bandeirantes", não tinha nenhum representante, nem material de divulgação turística, como também nenhum empreendedor de Pitangui divulgando seus produtos ou serviços no stand montado pelo circuito. O Salão não seria uma bela oportunidade para divulgar o potencial turístco de Pitangui e também proporcionar contatos e negócios para o setor privado?
Também nos chamou a atenção o material distribuído pela Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais em seu stand. Trata-se de um livreto (Cidades Históricas de Minas: guia de bolso). Nele é apresentado vários roteiros para a visitação de 20 cidades históricas mineiras, Pitangui não está presente. Será que não temos atrativos para manter o turista por pelo menos dois dias em nossa cidade? Quem acredita no potencial turístico de Pitangui? O que deve ser feito para alavancar este setor? Temos um inventário turístico e políticas públicas bem definidas neste setor? Todas estas questões e ainda outras nos fazem refletir sobre a necessidade de um amplo debate sobre o turismo em Pitangui.

domingo, 18 de abril de 2010

Outra manhã na cidade


Foto: Léo Morato.

Nossas lentes registraram mais um belo amanhecer na 7ª Vila do Ouro. Fotografe Pitangui e nos envie as fotos com o seu olhar sobre a cidade.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Arquitetura Eclética em Pitangui

A riqueza arquitetônica de Pitangui salta aos olhos. Percorrendo algumas ruas da cidade o visitante depara-se com um maravilhoso patrimônio arquitetônico, que engloba os diversos estilos que predominaram no decorrer de quase 300 anos de sua história. Um exemplo típico é a rua Padre Belchior, no centro da cidade. Nela encontramos construções em vários estilos arquitetônicos, do colonial ao mais contemporâneo, uma verdadeira aula de arquitetura a céu aberto. Abaixo apresento duas fotos do Arquivo Público Mineiro, enviadas pelo Cláudio Faria, do casarão em estilo eclético localizado na rua Padre Belchior. Supomos que as fotos sejam do início do século XX.


O ecletismo, foi o movimento arquitetônico que predominou de meados do século XIX às primeiras décadas do século XX. Se você quer saber mais sobre o ecletismo clique sobre a primeira foto desta postagem.








Se você for visitar Pitangui não deixe de apreciar estas pérolas da arquitetura. Esperamos que os filhos da cidade também façam o mesmo, apreciem, preservem e divulguem, a cidade merece. Precisamos acreditar e agir no sentido de estimular o turismo em Pitangui e para que isso aconteça, não basta apenas ações governamentais em qualquer nível que seja, é preciso participação da comunidade. Se o povo não respeita e reconhece os valores de sua própria cidade, quem vai reconhecer? O turismo aquece a economia e gera empregos.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A Festa da Penha


A procissão do Mastro.
Foto: Alexandre Barros, um dos organizadores do evento.

Ainda em tempo, registramos com alegria um grande acontecimento cultural resgatado em Pitangui, em julho de 2009, a Barraquinha da Penha e a procissão do Mastro. A festa não era realizada há cerca de 10 anos e foi reativada em uma brilhante iniciativa da sociedade pitanguiense, juntamente com a comunidade do bairro da Penha.



A Barraquinha da Penha. Foto: Léo Morato.

A “Barraquinha da Penha”, essa antiga tradição da cidade e dos pitanguienses, também é conhecida como Festa de Santo Antônio e caracteriza-se pelos festejos juninos. A parte religiosa era composta por novenas e celebrações na Capela da Penha. Na versão de 2009, foi realizada a Barraquinha com bebidas, comidas típicas, apresentações de artistas locais, quadrilha junina e gente se divertido.



O povo levando o mastro, ou será o mastro levando o povo?
Foto: L. M.

Quanto a tradição do Mastro em homenagem a Santo Antônio, de acordo com o amigo Neivaldo Barros, um dos organizadores da Festa:Todo ano é escolhido um mordomo, ele recebe o povo em sua casa, cada um doa ou leva a bebida e a comida, é rezado orações e depois sai a procissão com destino ao local da festa. Ano passado (2009) fizemos homenagens para o 'Catrepa' e para o 'Márlucio do Matia Gato', pois eles eram integrantes fieis da procissão do mastro”.




O mordomo e o estandarte do Santo. Foto: A. Barros.

Em 2009 o mordomo foi o Humberto “Tibola”, que recebeu os fiéis em sua casa. Na procissão, os participantes têm a divertida e literalmente pesada tarefa de levar o mastro nos ombros, da casa do mordomo até a Capela da Penha, percorrendo algumas ruas e subindo o Morro do Batatal (antiga jazida de ouro). Acredito que é daí que veio o refrão dos versos improvisados, (o melhor da festa) cantado durante todo o trajeto; “Ô num bambeia não”!!!!



A Fulia. Foto: A. Barros.


A Quadrilha Junina. Acervo de A. Barros.

Tive a grata oportunidade de participar dos festejos em 2009 e pude vivenciar a alegria do povo, recebendo de braços abertos o retorno dessa tradição. Com a participação popular e vontade política (como vem acontecendo na cidade), as nossas tradições serão mantidas e o Turismo tornar-se-á uma opção viável para Pitangui. Fica aqui os nossos parabéns aos organizadores e o desejo que a festa continue. Ah, já ia me esquecendo “ô num bambeia não”!

Artesanato Pitanguiense.
Foto: L. M.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Obras de calçamento em Pitangui

As fotos abaixo foram enviadas pelo Cláudio Faria - pertencentes ao Arquivo Público Mineiro - e mostram obras de calçamento em Pitangui. Presume-se que as fotos sejam do início do séc. XX.






terça-feira, 13 de abril de 2010

Professor Francisco Saldanha


Nesta postagem homenageamos o educador pitanguiense, professor Francisco Saldanha.
"Filho do coronel José Xavier Saldanha e Elisa Xavier Pereira Saldanha, Francisco Saldanha nasceu em 01 de novembro de 1897. Iniciou em Pitangui seus estudos e muito cedo, ainda na adolescência, foi para São Paulo a fim de dar continuidade às suas atividades escolares, ingressando na Faculdade de Medicina, onde cursou o 1º ano.
Percebeu logo não ser esta a sua vocação, pois desde o início de sua vida em São Paulo, teve a oporunidade de frequentar os grandes meios culturais e conviver com os amantes das artes e das letras e com jovens que mais tarde participaram da Semana de Arte Moderna em São Paulo, isto em 1922.
Deixou a medicina e ingressou na Faculdade de Direito na mesma cidade, o que agradou muito seus pais. Cursou até o 2º ano e vindo a Pitangui passar férias, por decisão da família, não mais voltou a São Paulo para dar continuidade a seus estudos. Os pais propuseram a continuidade de seus estudos no Rio de Janeiro ou Salvador, mas ele decidiu ficar em Pitangui.
Depois de algum tempo, sendo ele grande incentivador da cultura, amante da lteratura, apreciador da música e da poesia foi convidado a dar aula na Escola Normal Prof. mons. Artur de Oliveira. Iniciou como professor de matemática e mais tarde deu aulas de português e francês. Sabiatambém o alemão.
Preparava os jovens pitanguienses para concursos dando aulas de reforço aos que necessitavam, sendo elas ministradas em sua residência, onde contava com uma grande biblioteca e uma sala de aula.
Como bem disse o Doutor José Lacerda Machado, num trecho de seu discurso, por ocasião da inauguração da Casa de Cultura:
"O sobrado da Rua Padre Belchior, residência do professor, era a casa da cultura, onde a mocidade pitanguiense ia receber as lições do sábio mestre.
Modesto, nunca ambicionou honrarias. Em sua pessoa encontramos o equilíbrio, a calma e o bom senso. E coroando a sua personalidade, uma constelação de virtudes: bondade, inteligência, cultura e espírito humanístico"
De professor na escola, chegou por seus méritos a Diretor, onde exerceu o cargo durante 24 anos e se aposentou. Depois de aposentado, nunca abandonou os estudos, continuava lendo seus livros de francês e tomando conhecimento de todas as atividades culturais nos grandes centros como São Paulo, Rio e Belo Horizonte. Falava sobre música e declamava poesias. Assim foi a vida deste mestre até 1987, quando veio a falecer no dia 22 de junho daquele ano..."
A casa onde o professor Francisco Saldanha - também conhecido com Sô Chiquinho - viveu, na rua Padre Belchior, nº 93, hoje abriga uma escola, o "Centro Educacional Professor Francisco Saldanha",nome dado em homenagem ao grande educador pitanguiense.
A breve biografia do professor Francisco Saldanha presente nesta postagem nos foi fornecida por Amélia Marina Vasconcelos, a "Tia Amélia".

domingo, 11 de abril de 2010

Restauração da Igreja de São Francisco

Fechada desde 2002, a Igreja de São Francisco, começou a ser restaurada no final de Março/2010. Para isso, serão investidos R$ 358 mil na recuperação de toda a estrutura interna, além de troca de reboco e do forro e revisão da cobertura. As obras na edificação do século 19 tem a previsão de quatro meses para ficarem prontas.





Para nós pitanguienses, a restauração da Igreja de São Francisco é de relevante importância pois o templo religioso faz parte da nossa identidade cultural.



Olhares noturnos


O Cristo e a cidade. Foto: Simone Nunes.

A foto de hoje foi cedida pela amiga Simone Nunes e apresenta uma visão noturna da serra da Cruz do Monte. Assim como nós do blog (e muitos outros pitanguienses), ela valoriza esse patrimônio da cidade e destaca a boa energia do lugar. Realmente o local é muito aprazível. Parabéns pela foto, Simone.

Acesse também: http://daquidepitangui.blogspot.com/2010/02/capela-da-cruz-do-monte.html

sábado, 10 de abril de 2010

2ª etapa da exploração das Minas de Onça de Pitangui

Erich Hanke, Sebastião, Henrique Hanke, José Antônio e Vandeir Santos na boca da mina do José Nilson.


No último dia 04, nosso amigo e colaborador do blog,Vandeir Santos, promoveu a segunda etapa das exploração das minas de Onça de Pitangui. Desta vez ele contou com a presenç de Erich Hanke, seu filho Henrique Hanke, de José Antônio, e ainda na fase final, contaram com a ajuda do guia Sebastião que os levou até as minas localizadas no terreno do Sr. José Nilson.



Galeria principal da mina do José Nilson.


Vandeir também voltou à mina no terreno do Sr. José de Abreu, onde foram exploradas novas galerias, incluse com a descoberta de uma nova galeria (vertical) não identificada na primeira expedição exploratória. A falta de material de segurança mais adequado não permitiu uma exploração melhor nesta etapa o que forçou pensar em uma nova expedição.


Henrique Hanke, Vandeir Santos e Erich Hanke no salão da mina do José de Abreu.


Boca da mina do José Nilson



A mina no terreno do Sr. José Nilson fica a direita da entrada da cidade de Onça do Pitangui. Segundo consta, neste terreno havia mais de uma dezena de minas, sendo uma delas considerada a amior da região (hoje tampada). Infelizmente, a prática da pecuária frz com que a maioria destas minastiveram suas bocas fechadas por tratores. Esta última mina apresenta uma galeria principal com formato mais retangular, uniforme e com derivações bem curtas. A presença de fezes de animais indica que o local é frequentado possivelmente por lobos ou raposas.



José Antônio explorando o início daa galeria vertical - mina do José de Abreu.


Segundo o guia Sebastião, que acompanhou a expedição na segunda fase do dia, existem outras minas na região, porém menos profundas e não tão interessantes como as duas que foram visitadas no dia 04 de abril. De acordo com Sebastião, naquela depressão existente ao lado da igreja (centro da cidade) há uma mina.
Estamos agendando uma 3ª expedição para continuarmos explorando a galeria vertical e também o poço de 13 metros na mina do José de Abreu.


Poço do salão da mina do José de Abreu - 13 metros de profundidade.

Se algum aventureiro, maior de idade se animar a participar da terceira expedição é só fazer contato com o Vandeir Santos. Aguém se habilita?

FOTOS E TEXTOS DE VANDEIR SANTOS.

Manhã de sábado


Muito propício para esta manhã de sábado, é a poesia do amigo Betto Santiago, publicada em seu livro Filosofia Acidental, de 1995.

SABIÁ

Sábio, um sabiá
saudava as manhãs
de sábado.
Saboreava
a sina das asas:
Voava.
Sua casa era o ar
seu rumo, o acaso
Cantava.
Só contava consigo.
não fazia inimigos
deixava as arapucas
em paz.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Empadão de queijo de Minas

Este mês postamos mais uma deliciosa receita da cozinha mineira,
mais precisamente da cidade de Santa Rita do Jacutinga, trata-se do Empadão de queijo de Minas. Bom apetite!




INGREDIENTES:
  • 1 ovo
  • 2 dedos de um copo (200ml.) de leite
  • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
  • 500 g. de manteiga
  • 1 pitada de sal
  • 500 g. de farinha de trigo

Para o recheio:

  • 500 g. de queijo de Minas
  • 500 ml. de leite

COMO FAZER:

A massa: em um recipiente, juntar o ovo, o fermento em pó, a manteiga e o sal. Acrescentar a farinha de trigo aos poucos, até obter uma massa consistente. Se ficar mole acrescentar mais farinha. Moldar a massa num refratário médio, cobrindo o fundo e as laterais.

O recheio: bater no liquidificador o queijo e o leite, até obter um creme consistente. Pôr o creme sobre a massa, no refratário e levar ao forno quente, durante cerca de 40 minutos, até o empadão ficar bem corado.

FONTE: Sabores de Minas, v. 30. Suplemento do jornal Estado de Minas

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Arte na Praça


A roda na praça. Foto: Léo Morato

As pessoas na praça prestigiando a roda de capoeira, cena típica de Pitangui. São muito interessantes as manifestações artísticas populares espontâneas. Não se tem o peso da preocupação se as coisas darão certo ou não, simplesmente elas acontecem e esboçam as características das charmosas cidades de interior.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Projeto que regulamenta a profissão de historiador é aprovado no CAS

A Comissão de assuntos Sociais do Senado (CAS) aprovou, no último dia 10 de março 0 PLS 368/09, projeto de lei que regulamenta a profissão de historiador.O relator do projeto é o senador Paulo Paim (PT/RS). O texto foi votado em decisão terminativa. Segundo notícia divulgada pela Agência Senado:
"O projeto define que a profissão de historiador poderá ser exercida pelos diplomados em curso superior de graduação, mestrado ou doutorado em história. As atividades deste profissional são, de acordo com o projeto, o magistério, a organização de informações para publicações; exposições e eventos sobre temas históricos; o planejamento, a organização, a implantação a a direção de serviços de pesquisa histórica; o acessoramento para avaliação e seleção de documentos para fins de preservação; e a elaboração de pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos e trabalhos sobre temas históricos."
Durante a votação, o relator da matéria, senador Cristovam Buarque, afirmou:
"Esse projeto não impede a atividade de historiador por aqueles que o fazem por vontade própria ou vocação; apenas garante para os respectivos cargos públicos a exigência do diploma de historiador."
O senador Cristovam Buarque, em seu voto, observou que, atualmente, a atividade de historiador não está mais restrita à sala de aula e que a presença deste profissional é cada vez mais requisitada pelos centros cultrais, museus,, assessoria e consultorias a empresas de publicidade, turismo e produtores de cinema, jornalismo e televisão. Por esse motivo, o relator se manifestafavoravelmente a que a profissão seja valorizada e reconhecida legalmenter.
Ainda segunda a Agência Senado, também foram aprovados pelo CAS as quatro emendas da Câmara ao projeto de lei que regulamenta a profissão de turismólogo. Essa proposta ( que agora tramita no Senado como ECD 290/01) foi apresentada em 2001 pelo então senador Moreira Mendes. O relatordas emendas na CAS foi o senador Geraldo Mesquita Júnior (PMDB/AC).

E. E. Francisca Botelho

E.E. Francisca Botelho - foto do Arquivo Público Mineiro e
enviada pelo colaborador Cláudio Faria.
O nosso amigo Neivaldo de Barros observou que abaixo da E. E. Francisca Botelho podemos ver a antiga Casa Paroquial de Pitangui.

A Escola Estadual Francisca Botelho foi fundada em 05 de outubro de 1907. O nome da escola está ligado a uma bela história de amor. Conheça detalhes desta história clicando AQUI.