Seguidores

quinta-feira, 23 de março de 2017

Dona Nina

Na postagem de hoje resgatamos o belo trabalho que era realizado, na região do bairro Santo Antônio, pela Dona Nina, num vídeo produzido pela Família Dó Ré Mi.


Agradecemos a Maria José pela indicação do vídeo

segunda-feira, 20 de março de 2017

Chuva de Verão, no Verinho!


Neste primeiro dia do Outono publicamos imagens raras de uma torrencial chuva de Verão que caiu em Pitangui no sábado de carnaval, no final de fevereiro. Com o grande volume de água que desceu repentinamente o centro baixo ficou alagado, a exemplo da avenida Gustavo Capanema. na esquina do bar do Verinho.



A chuva já era esperada, mas o alagamento nem tanto. Será que a galeria subterrânea que atravessa a avenida precisa de manutenção e limpeza? Será que tem gente jogando lixo pelas ruas da cidade, fazendo com que o entulho se acumule nos bueiros? Precisamos repensar a nossa relação com a cidade e a destinação no lixo que produzimos.

Depois da chuva.Fotos: Léo Morato.


domingo, 19 de março de 2017

Fala, Juca! - Crônica de Paulo Miranda

Fonte: Fabinho & Leca

Não pense que vai encontrar o Juca em sua casa, ali na antiga Rua Nova, já há muito oficialmente denominada Monsenhor Arthur. Mas pra nós, com todo respeito ao religioso, segue sendo a velha Rua Nova, com convicção e prova. E é a única de Pitangui que, cortando a cidade, é reta de ponta a ponta.

Fonte: Fabinho & Leca


Mas, afinal, que é do Juca de Freitas, filho saudoso marceneiro Zé Martinho? Tá lá sim, só que encafuado na sua oficina na mexida insofrida de cada dia. Seu ofício original é de pedreiro, mas hoje, com as pás em paz e a desempenadeira pendurada à parede, ele está é na sua oficina multi-uso, no quintal.


Fonte: Fabinho & Leca


Entre muitas atividades de manejo de ferramentas, Juca completa obras do mano Jonba, o João Batista de Freitas, também precursor, pluri-artesão, falecido há cerca de ano e meio. O trabalho mais recente da dupla é uma miniatura da já há muito extinta, mas não menos recordada, Venda do Tisnado. Esse estabelecimento, por décadas a fio e a pavio, marcou época na cidade: era sinônimo da balbúrdia organizada. Só na cabeça de seus donos, Tisnado e seu irmão Dodô, que conheciam todo o estoque de (f)utilidades domésticas, mas por vezes até evitavam adentrar o o amontoado interno, dizendo ao potencial freguês que lá passasse outro dia...Pressa, ora essa, não havia.


Fonte: Fabinho & Leca


Pois os manos João e Juca fizeram tudinho que alcança a imaginação, numa coleção de miniaturas que val além da perfeição. O quê dizer, por exemplo, daquelas faquinhas de cabo de chifre, de dois centímetros de lâmina, e amoladinhas até? Bota fé, Mané. Isso é arte, em qualquer parte.


Fonte: Fabinho & Leca


O empreendimento atual do Juca - não confundir com o suruboso Jucá - é, acentuadamente, um primor, e já  quasemente concluído é uma Tenda de Ferreiro. Fole,  bigorna, tenazes, morsa, marretas, cravos, torqueses em escalas variadas estão lá, quase invisíveis de pequenininhos para lhe encher os olhos. E até provas da produtividade já se exibem em formas de ferradurinhas, a que não faltam nem os buraquinhos para os cravos...


Fonte: Fabinho & Leca


Isso, gente, é artesanato digno de ser exibido, difundido, e reconhecido como patrimônio de nossa Velha Serrana. Num tempo de inundação de legos, barbies e he-mans, temos, enfim, algo genuíno, para provar que mesmo pelo prisma da memória, Pitangui continua fazendo história.

sábado, 18 de março de 2017

Sábado de mobilização: coleta de assinaturas contra a PEC 287


Hoje, sábado, 18 de março, professores mobilizados ocuparam a Praça Plínio Malaquias para protestar e recolher assinaturas contra a PEC 287, que propõe a Reforma da Previdência. Tal reforma prejudicará todos os trabalhadores e trabalhadoras brasileiras.




A população atendeu ao chamado e compareceu para assinar o manifesto. Segundo a organização do movimento foram recolhidas em torno de 1300 assinaturas.
Muitos daqueles que assinaram o manifesto expuseram sua indignação diante do ataque aos direitos dos trabalhadores por parte do atual governo federal.






Na segunda-feira, a Praça Plínio Malaquias volta a ser ocupada para a coleta de assinaturas contra a PEC 287 e esclarecimento da população sobre o assunto. 
Precisamos reunir 5000 assinaturas em Pitangui, que serão enviadas aos deputados federais eleitos com o voto dos eleitores da cidade exigindo que eles votem contra a PEC.


Essa luta não é só dos servidores públicos, mas, também, de todos os trabalhadores rurais e da iniciativa privada. Temos que unir forças para lutarmos por nossos direitos e das futuras gerações de trabalhadores, que serão duramente afetados com a aprovação da PEC 287.
Compareça à Praça e assine o manifesto.


Na terça-feira, 21 de março, os professores convocam a população para a concentração que ocorrerá na Praça da Câmara Municipal, quando uma comissão encaminhará aos vereadores pedido de apoio contra a PEC 287, pois estes são os nossos interlocutores com os deputados federais eleitos com os votos de nosso município.
Compareça.




Os direitos dos trabalhadores foram conquistados, não foram dados!!!
Precisamos defendê-los!




sexta-feira, 17 de março de 2017

Pitanguienses se mobilizam contra a reforma previdenciária: coleta de assinaturas contra a PEC 287


Um grupo de pitanguienses, trabalhadores da educação está convocando a população de Pitangui para assinar um manifesto contra a PEC 287, que irá retardar a aposentadoria de milhões de brasileiros. Segundo o diretor técnico do DIEESE, Clemente Ganz Lúcio,

"O projeto é extremamente severo, retarda o acesso à aposentadoria, exclui milhões. Retarda, exclui e arrocha", resume Clemente. "As pessoas começam a entender a gravidade desse projeto." Já a reforma trabalhista, acrescenta, tem impacto ainda maior: "Afeta a organização econômica de toda a sociedade brasileira".

Muitas pessoas, por falta de informação, acreditam que a reforma da previdência afetará apenas os funcionários públicos, o que é um equívoco, pois, TODOS OS TRABALHADORES BRASILEIROS serão afetados por esta reforma.
Por isso, é preciso que a população se mobilize, como ocorreu no dia 15 de março, quarta-feira passada, tomando as ruas manifestando sua indignação com a PEC 287.
Tal reforma afeta quem já trabalha e aqueles que ainda ingressarão no mercado de trabalho.

"Trabalhadores e futuros trabalhadores de Pitangui, venham lutar contra a aprovação da PEC 287. Você quer se aposentar? Você espera que seus filhos se aposentem algum dia?
Então ,
DIGA NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

Venham todos assinar o manifesto contra a PEC 287, amanhã, sábado, 18 de março,a partir das 09:00 horas da manhã na Praça Plínio Malaquias, antiga Rodoviária, onde haverá coleta de assinaturas contra a Reforma da Previdência.

Na terça-feira, 21 de março, outro manifesto ocorrerá na Praça da Câmara, às 20:00 horas.
Precisamos pressionar os políticos que são eleitos com os votos da população de Pitangui, para que eles não votem a favor da PEC 287.

LEVEM SEUS TÍTULOS DE ELEITORES!
JUNTOS SEREMOS FORTE!
VAMOS PARAR A PEC287!




terça-feira, 14 de março de 2017

1ª Mostra de Empreendedorismo do CDeP

O Centro de Desenvolvimento Profissional (CDeP), de Pitangui realiza no próximo sábado, 18 de março, na Galeria Vilaça, a 1ª Mostra de Empreendedorismo do Curso de Gestão Administrativa. Participe e apoie esta iniciativa. 

segunda-feira, 13 de março de 2017

A Estação

Um olhar sobre a Velha Estação.
Fotos: Léo Morato.

Visões sobre uma Pitangui bucólica, poética, de outrora e de agora. É preciso vê-la, destacar suas "ilhas", contar e cantar suas belezas, ocupar seus espaços e mandar notícias do mundo de lá.

 A arte na paisagem*.




(*) Orelhão grafitado pelo artista Renato Faria, num projeto da Sec. de Cultura.

domingo, 5 de março de 2017

A VIII Lavagem do Bandeirante foi assim...

 Domingo de Carnaval. Fotos: Daqui de Pitangui.

Quem acompanha a Lavagem do Bandeirante desde a sua primeira edição em 2010, sabe que a sua criação foi despretensiosa, era apenas um ato prático da turma desde blog criado em 2009. Mas, desde o início a união fez e faz a força, promove o resgate histórico e a autenticidade do nosso carnaval de rua.




E assim foi o evento deste ano... com irreverência, alegria e parcerias o povo sorriu na tarde do domingo de carnaval, num clima amizade. Não houve nenhum incidente registrado e a paz pedida, reinou na festa que este ano homenageou o amigo Flavinho. Mas por que lavar o Bandeirante se Pitangui surgiu da mistura do índio, do negro e do branco? Na teoria estamos fazendo a nossa parte, na prática os valores históricos estão sendo resgatados e pessoas de todas as cores, crenças, idades e bolsos brincam juntos e misturados! Alguns blocos já estão sendo formados, quem sabe outras ações de resgates culturais surjam ou são mais incentivadas em Pitangui?

Daqui de Pitangui - Organizadores.


Agradecemos a todos e todas que compareceram e fizeram a festa acontecer, aos patrocinadores culturais; à turma que trouxe a cerva e o refri e que abriu o comércio na Penha; ao Cláudio Faria que conduziu a água do pipa; Nicodemos Rosa, Paulo Henrique Lobato e Ricardo Welbert pelas imagens registradas e ao Edilson Lopes pela cobertura jornalistica; ao Gustavo da Visual que nos cedeu o pipa; ao José Afrânio que colaborou com a água para a banda (Água Mineral Santíssima); ao Fred da Lira Musical Viriato Bahia; ao Barrica, nosso parceiro de sempre; à Prefeitura Municipal que nos viabilizou uma boa estrutura que fez a diferença. Ano que vem tem mais e a proposta é que seja ainda melhor. Sugestões são bem vindas, pelo e-mail: daquidepitangui@gmail.com

sábado, 4 de março de 2017

Pitanguiense de sucesso é atração em reality show

Nessa próxima quarta-feira, dia 08 de março, às 19:00, o reality show Que Seja Doce do canal GNT contará com a participação das irmãs pitanguienses Letícia e Cíntia Viegas Caldas. O programa é exibido diariamente e em cada episódio três concorrentes participam de suas provas para decidir quem é o melhor confeiteiro, isso ocorre em um ÚNICO DIA, diferente dos outros realitys onde a competição se arrasta por várias semanas. A atração é apresentada pelo chef Felipe Bronze e os concorrentes são avaliados pelos jurados Lucas Corazza, Carole Crema e Roberto Strongoli, todos profissionais de renome na culinária brasileira. Nessa terceira temporada cada participante pode contar com um ajudante e Letícia chamou sua irmã Cíntia que já lhe ajuda na confeitaria para lhe ajudar também na competição.



Ao se ver desempregada em 2014, a pitanguiense Letícia viu na confecção de bolos caseiros para os amigos uma oportunidade de ganhar algum dinheiro, o que ela não imaginava é que essa despretensiosa atividade fosse evoluir a ponto de transformar uma advogada em uma confeiteira de grande sucesso. A confecção caseira evoluiu e em 2015 surge a marca Let’s Gourmet. Dona de um dom natural que lhe permite fazer os mais deliciosos confeitos, Letícia viu seu empreendimento crescer ainda mais e mesmo chegando a uma escala de produção quase industrial faz questão de se encarregar pessoalmente de todo o processo de forma a garantir a qualidade e o sabor de seus produtos, um sucesso que alcançou até mesmo outras cidades da região. Ela conta com a ajuda da mãe, da irmã e de funcionários que dão apoio nas tarefas secundárias.



A dedicação e a seriedade na condução dos negócios, fez com que Letícia procurasse especialização na área e hoje colhe frutos com o reconhecimento de seus clientes que lhe proporcionam uma grande demanda e com a possibilidade de compartilhar seus conhecimentos através de cursos ministrados em Divinópolis e Belo Horizonte. Letícia é mais um exemplo para a juventude pitanguiense, mesmo em um momento complexo em nossa economia essa jovem acreditou e transformou uma atividade provisória em um sólido empreendimento com excelentes perspectivas de futuro. Quando aprendeu as primeiras receitas no comércio da família ela não fazia ideia de que aquele balcão era uma escada para o sucesso. E ainda tem muitos balcões em Pitangui.


Na próxima quarta vamos assistir e torcer pela dupla pitanguiense.

Vandeir Santos